segunda-feira, 21 de junho de 2010

A Viagem







Desta vez 

Eu não coloquei os meus sonhos na mala,

Muito menos as minhas expectativas.

Não juntei minhas roupas à ansiedade

De poder ou não agradar.

Tampouco pagarei excesso de bagagem

Com o peso dos meus medos.

Desta vez

Eu não dobrei meus desejos

Junto com as minhas calcinhas.

Nem preenchi os espaços vazios

Entre uma peça e outra

Com doses extras de meu carinho e atenção.

Desta vez

Em minha mala,

Só os meus substantivos concretos.

De abstrato, só tristeza,

A desesperança, a mágoa,

A descrença, a solidão.

No entanto,

Substantivo abstrato, como qualquer perfume,

Com o tempo sempre evapora,

Mesmo que tenha custado caro demais.

Tudo arrumado, estou pronta.

Preparada... para nada.



2 comentários:

  1. Muito bom, adorei, na escrita e na verdade das palavras, bjus

    ResponderEliminar
  2. É... o problema é que nem todo perfume caro vale a pena... há alguns que compramos pelo invólucro que carregam, outros pelo conteúdo, outros por nos trazer boas lembranças... já alguns nem sabemos por que compramos.

    ResponderEliminar

Grata por registrar sua visita.