sábado, 5 de março de 2011

Tragédia Grega






Como Ícaro,
Já desejou voar para sentir-se livre.
Em muitos momentos da vida
Controlou-se para não ser Pandora.
Sempre soube que merecia
Ter um determinado Orfeu
Em seu encalço, pois
Mesmo não sendo tão bela,
Tal qual Afrodite,
Tinha desejos de ser adorada.
Mas não exigia muito...
Basta-lhe um homem a fazer isso.
A coragem de Ártemis
E a segurança de Atena
Ela adquiriu faz pouco tempo.
E sempre soube que breve,
Tão lindamente quanto Hermes,
Ela voltaria a voar.
Como Ariadne, já havia amado
E por inteiro dedicado-se
A um mal agradecido Teseu.
Mas nunca entendeu por que,
Infelizmente, depois disso
Não surgiu nenhum (fiel) Dionísio
A encantar a sua vida ou
Confortar-lhe as desilusões.
Aliando domínio e submissão,
Sendo uma grande mulher,
Ela também quis ser Hera.
E tornar-se o sustentáculo
De um incomensurável homem.
No entanto,
Cercada pela escuridão
E proibida de ver,
De ter diante de seus olhos
O objeto de meu amor,
Restou-lhe protagonizar
O trágico conflito de Psiquê...
Então, noites seguidas,
Fica ela a desejar que
Eros, finalmente, permita-se
Ser visto ao seu lado...




Sem comentários:

Enviar um comentário

Grata por registrar sua visita.