quarta-feira, 27 de abril de 2011

Na Rede a Comentar - 3








Então...
Desde que comecei a ouvir os rumores deste acontecimento eu tenho me perguntado infinitas vezes: o que nos faz ser tão cegos, burros e impotentes diante da paixão?
Seja lá que paixão for: pelo professor, pelo trabalho, por aquele canalha que acabou com sua dignidade, pela vagabunda que te fez encher a cara... e mesmo pela vida alheia, pelo luxo, pela ostentação e – por que não? – pelo glamour da realeza que nunca fará parte de nossas plebeias vidas.

É a paixão que faz com que muitos se ponham a comprar revistas para copiar o vestido da princesa, o cabelo da princesa, o anel da princesa. É essa paixão que faz com que os jornais ocupem caríssimos espaços a tratar do casamento do príncipe, da comida do casamento do príncipe, dos convidados do príncipe e até sobre o primeiro idiota a ficar plantado no local onde o príncipe irá passar no dia de seu casamento com a sua princesa. É essa paixão que nos faz admirar e achar lindo a cama com dossel dourado onde dormirá o príncipe com sua princesa, enquanto nós nos jogamos naquele maldito colchão que acaba coma nossa coluna, mas que ainda não pode ser trocado porque existem coisas mais urgentes em nossa plebeia vida para pagar e com impostos altíssimos – comida, por exemplo.

Que paixão é essa que impede o seu possuidor de perceber que em nada mudará a sua vida se o príncipe irá casar com a princesa aqui ou na puta que os pariu? Que paixão é essa que faz com que o seu possuidor – no caso o primeiro idiota a ficar na fila para ver o casamento do príncipe e da, ainda, plebeia – não veja que é ele um dos que sustentam todo aquele luxo desenfreado? Um luxo que ele, o idiota apaixonado, não pode usufruir, mesmo pagando por ele todos os dias com seus suados impostos.

A paixão, sem sombra de dúvida, é o combustível para muitos maravilhosos e grandes feitos da humanidade. Mas, como nada é como a visão que temos da lua, infelizmente a paixão também tem outro lado. O lado capaz das maiores atrocidades, das maiores insanidades, das maiores estupidezes que se pode imaginar.

A adoração ao luxo pelo qual pagamos e do qual não podemos desfrutar é só um exemplo do quanto a paixão nos põe cegos, mudos, burros, completamente idiotas e tão condescendentes a ponto de sermos ridículos... e ficamos assim... a sonhar com contos de fadas e com seus tão desejados finais felizes... até quando?


Sem comentários:

Enviar um comentário

Grata por registrar sua visita.