segunda-feira, 23 de abril de 2012

Marcha Contra a Corrupção





Postagem publicada no Facebook por Pedro Urizzi e, em seguida, o meu comentário acerca dela.


ONTEM FUI PRESO INJUSTAMENTE PELA PM NO DIA DA MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO.


"Sou eu nessa foto sendo preso injustamente! Estava a caminho de um jantar (por isso a garrafa de vinho), havia descido do ônibus, pois a Av. Paulista ainda estava interditada, comecei a caminhar em direção a brigadeiro, quando passo em frente ao MASP vejo a manifestação contra a CORRUPÇÃO, fiquei alguns minutos a observar de longe a marcha, minutos depois grande parte das pessoas foram dispersadas pela PM com o uso de força bruta, gás lacrimogêneo, bala de borracha e etc. Após o primeiro confronto continuo em direção a brigadeiro, levando meu vinho e escutando musica, mas uma cena me marcou muito, vi um policial com um saco de bombas ele caminhava junto com sua equipe ate um grupo de pessoas que estavam na calcada, ali observei que havia crianças também! Então corri ate a ilha de cimento que fica na frente do MASP e comecei a berrar: - “Tem criança ali, não joga não joga, tem criança”. Depois de poucos minutos o mesmo policial me abordou agressivamente, me segurou pelo colarinho e alegou que eu o xinguei, ele me xingou algumas vezes e continuou a me segurar pelo colarinho e a me chacoalhar, enquanto isso outro policial veio e me agrediu com um cassetete no braço, me deram voz de prisão e bruscamente torceram meu braço esquerdo e me seguraram pela nuca, em nenhum momentos os policiais pediram meus documentos ou respeitaram meus direitos. Fui detido por livre decisão da PM sem motivo e de uma maneira humilhante. Jogaram-me no chão com força e me algemaram com as mãos para trás, apertaram bem forte a algema da minha mão direita (por enquanto não consigo escrever a caneta, não sei como vou dar aula na segunda). Fui colocado no camburão, em nenhum momento nenhum policial militar ou oficial superior interveio ou me deram alguma explicação, e muito menos respeitaram meus direitos, fui detido como um criminoso perigoso, ou quem sabe um dia como um político corrupto. Meus direitos foram jogados a esmo pela Policia Militar do Estado de São Paulo. Depois de entrar no camburão fiquei muito nervoso e incerto do que iria acontecer, só consegui ficar tranqüilo quando me entregaram a Policia Civil no 8º DP, la pela primeira vez meus direitos foram respeitados, o delegado mandou retirar as algemas, me deram água e fui depor, fiz minhas ligações, dois amigos foram ate a DP, depois fui ao IML para fazer corpo delito pois fui agredido pela PM, tenho escoriações leves no ombro, joelho e meu pulso direito esta bem machucado, mas a dor física não me incomoda, essa passa, mas e a dor da humilhação? A dor da alma, sabe? De não poder fazer NADA, se sentir sem direito algum, de ser tratado como um criminoso, o dia 21 de abril de 2012 vai fica pra sempre na minha memória, mas não me arrependo de nada! Imagine as atrocidades que não acontecem na Cidade de São Paulo, quantas pessoas sem vozes existem? Quantas injustiças? Vou processar a PM e o Estado de São Paulo, fui agredido e humilhado pelo Governo que EU e VOCÊ sustentamos com os nossos impostos! 
Mas o Brasil mudou, há 40 anos meu pai foi preso político, ficou seis anos em exílio político, na época ele foi torturado e perdeu onze dentes. Evoluímos, dessa vez não perdi os dentes e nem sumiram comigo, tive “apenas” escoriações, o punho machucado e a negação dos meus direitos. O que mudou como tudo isso? Que a Policia Militar é totalmente despreparada, a Policia Militar não foi criada para proteger os cidadãos, não se pode de maneira alguma confiar na Policia Militar e que o Brasil precisa caminhar muito, mas muito mesmo para deixar para trás os fantasmas da ditadura militar que ainda irrigam nossa política de segurança publica. Ontem fui preso injustamente, e os políticos corruptos que estão à solta, hein?!"
Pedro Urizzi 22 de abril de 2012, São Paulo. Brasil.




E, abaixo, o meu humilde comentário

Muito embora eu não possa afirmar se isto se trata de uma postagem fake, eu acredito que a indignação, a vergonha desta pessoa tenha total razão de ser. Mas... Verdade seja dita, não se anda expondo uma garrafa de bebida na mão pelo meio da rua, ainda mais em São Paulo. No entanto, devo acrescentar que nada justifica a violência relatada no texto pela vítima.

Outra coisa estranha: um ator, que vive em São Paulo, dizer-se estar desinformado sobre a Marcha contra a Corrupção do dia 21 de abril e anunciada há tempos nacionalmente, sendo que até eu, que vivo no que alguns paulistas costumam chamar de "fim de mundo", ou "terra onde só tem índio", conhecido geograficamente por Região Norte, já sabia sobre a tal marcha.

Sendo assim, fico cá eu me perguntando... Será que todo marketing é válido? Bom... a julgar pela qualidade da foto, tudo indica que sim. Viram a imagem? Parece um quadro! Uma obra de arte! Viram o nome do sujeito? Ele diz que é ator, mas, ao menos eu nunca ouvi falar nele. Um ator famoso brasileiro andaria de ônibus? Terá ele encontrado uma forma de ficar famoso?

Outra coisa, a vítima trata-se de um cara é branco, com boa aparência e bem vestido. Então, será que só por isso os policiais tinham a obrigação de deduzir que se tratava de um "homem de bem"? E fosse um preto, pobre e mal vestido? Neste caso, poderia-se justificar a agressão?

E mais: acabou o tempo do "você é inocente até que se prove o contrário". Infelizmente, chegamos ao tempo do "você é suspeito até que o policial se convença do contrário" (ainda mais com uma garrafa de bebida na mão).

Volto a dizer, se a história é verdadeira (ainda que estranha), causa indignação de facto pela violência. Se foi usada pela vítima para se autopromover, devo lembrar que esse tipo de fama costuma passar muito rápido. O que eu sei é que, a julgar pelos tempos de violência que estamos vivendo, a ingenuidade urbana já não tem moradia nem em cidade interioranas, avalie no Inferno Cinza Brasileiro também conhecido por São Paulo.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Grata por registrar sua visita.