quarta-feira, 27 de junho de 2012

Pedagogia da Ignorância






Não precisa passar por uma graduação - ou pós - para entender a importância da palavra como um eficiente instrumento para expressar e fixar a cultura e os conhecimentos científicos e técnicos de qualquer sociedade.
Em se tratando de palavra escrita, podemos afirmar que a leitura é uma das mais poderosas atividades no que se refere à aquisição de saberes.



É bastante sabido - ao menos entre as pessoas diretamente ligadas à educação - a questão da importância da leitura, bem como as formas de criar modos de desenvolver no ser humano em formação o gosto pelos livros e o desenvolvimento do hábito de ler.


Denomina-se leitura a compreensão de uma mensagem codificada em signos visuais (geralmente letras e cifras). O ensino e o incentivo da leitura representam, portanto, um objetivo básico de todo sistema educativo.


Como bibliotecária, ouso afirmar que a Biblioteca Escolar é o principal centro de leitura de uma escola. Um lugar onde os alunos deveriam ter acesso ao conhecimento e à produção cultural. O incentivo à leitura é - deveria ser - uma das funções básicas de qualquer escola, que através da biblioteca, deve (deveria, ao menos) induzir seus alunos à pesquisa, à realização de estudos e mesmo à leitura propriamente dita, pois essas são atitudes imprescindíveis ao desenvolvimento cultural e intelectual de todo ser humano.

Infelizmente, o que vejo ao meu redor é o oposto disso tudo.

Não sei dizer quantas foram as vezes em que eu tive que discutir com professores, diretores e mesmo pedagogos que tomam a atitude errônea de punir alunos - seja lá por qual motivo for - enviando-os para a biblioteca, como se esse lugar fosse o "canto do castigo". E as "pérolas" são impressionantes:

"Entra aí (na biblioteca) e só sai quando acabar o horário (das aulas)."

"Eles vão ficar de castigo aqui! Pegue os piores livros e entregue para eles lerem e fazerem o resumo!"

"Já que você não fica na sala, vai ficar de castigo na biblioteca."

Parece impossível, mas essas frases todas foram ditas por (assim chamados) educadores. Como é que esses educadores (?) vão despertar nos alunos o gosto pela leitura, se o ato de ler é colocado de forma negativa, é uma punição, um castigo?

Infelizmente, eu não percebo gosto pela leitura nem nos próprios educadores! Se nem eles gostam, como ensinarão os alunos a gostar? E, é claro, (eu sei) que não é regra geral, nem todos os educadores são mal formados, mal informados ou trabalham mal, mas (acreditem) a porcentagem de incapazes é muito alta - ou a situação educacional no Brasil seria essa que vemos todos os dias seja na imprensa falada, escrita, seja em nosso cotidiano, como é o meu caso.



Afinal, de quem é a culpa? Será que é dessa maldita popularização do ensino que atira no mercado de trabalho profissionais mal avaliados, mal formados e incompetentes? Será que podemos culpar os salários baixos que transformam as pessoas em péssimos profissionais sem motivação alguma para fazerem um bom trabalho?

Eu não sei qual a consciência que a maioria das pessoas tem sobre a necessidade da existência de uma boa educação para uma sociedade, mas acreditem, quase tudo na vida depende de uma boa educação.

De uma boa educação depende a formação de pais decentes e uma consequente boa criação de seus filhos. De uma boa educação depende a consciência política de um povo, bem como a consciência social, o poder de questionamento, a valorização do conhecimento, entre tantas outras coisas já tão em falta em nossa sociedade.

A contínua formação de seres medíocres e incompetentes nas milhares de escolas espalhadas pelo Brasil é de uma conveniência absurda para os nossos políticos corruptos e populistas. Todos os anos as escolas públicas formam milhões de medíocres: alunos mal formados, mal avaliados, alunos que não leem, que não aprenderam a argumentar e muito menos a questionar. Estamos formando gerações de medíocres (favor, ler a postagem: E assim caminha a humanidade) !

Quando será que os profissionais da educação vão despertar para o fato de que são eles detêm o poder da mudança dessa situação?

A maioria das pessoas obrigatoriamente passa pela escola. A maioria das pessoas, por muitos anos em suas vidas, convive com professores. Desse modo, quando alguns afirmam que é através da educação que podemos obter mudanças positivas na sociedade, que é através da educação que podemos revolucionar as pessoas e o mundo, ACREDITEM! E vejam essas afirmações de modo profundo. ACORDEM!

A escola tem o poder da libertação!

A escola pode revolucionar!

A educação é a maior arma contra a ignorância!

O poder não é de quem foi eleito, mas de quem elegeu.

A hora de despertar é agora!





Sem comentários:

Enviar um comentário

Grata por registrar sua visita.