sábado, 14 de julho de 2012

Greve das Universidades Federais Brasileiras





As Universidades Federais brasileiras começaram, em 17 de maio de 2012, uma greve pela reestruturação da carreira do professor e pela melhoria das condições de trabalho das Instituições Federais.

De acordo com a Associação de Docentes da Cidade de São Paulo, "os (as) professores (as) federais estão em greve em defesa da Universidade Pública, Gratuita e de Qualidade e de uma carreira digna, que reconheça o importante papel que os docentes têm na vida da população brasileira. O governo vem usando seguidamente o discurso da crise financeira internacional como justificativa para cortes de verbas nas áreas sociais e para rejeitar todas as demandas feitas pelos servidores públicos federais por melhores condições de trabalho, remuneração e, consequentemente, qualidade no serviço público. A situação provocada pela priorização de investimentos do Estado no setor empresarial e financeiro causa impacto no serviço público, afetando diretamente a população que dele se beneficia."

O que se nota é um total descaso da mídia com relação a esse acontecimento. E, quando noticiam, o fazem de um modo que distorce absolutamente tudo, fazendo com que a parte desinformada (que é extensa) da população passe a entender esta greve de modo errôneo (para variar um pouco, não é?). Há um descaso absurdo para com a situação e não é apenas o Governo que está despreocupado.

Somos de um país onde as pessoas preferem perder o emprego a deixar de assistir a um jogo de futebol de seu time preferido. E isso é só um exemplo das atitudes absurdas que são consequências de um povo mal formado e mal informado.

Existem 67 Universidade Federais no Brasil (poucas para um país desse tamanho considerado a 6ª economia mundial) e, de acordo com os últimos dados, 65 aderiram à greve. 

Temos uma porcentagem altíssima de Instituições Federais  em greve. Mas o que eu percebo é que quando postam alguma notícia sobre o assunto, as pessoas estão muito mais preocupadas com as estatísticas do que com o problema em si - "54 só? Ah, então nem todas estão a favor!". Parece aquele (dito) cidadão desinformado que espera o resultado do IBOPE para saber em quem ele irá votar, como se eleição fosse um jogo no qual você aposta em quem supostamente está mais cotado.

A situação é a seguinte: são dezenas de universidades em greve em um país, onde os professores têm o apoio da maioria dos alunos.

Eu pergunto: isso não deveria ser o bastante para que uma população percebesse que alguma coisa vai muito mal?????


Fontes: estão todas em forma de link no próprio texto exceto por esta última abaixo.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Grata por registrar sua visita.