domingo, 26 de agosto de 2012

Do meu direito à inadaptação


Chales Bukowski


"Como é que alguém pode ter prazer em ser acordado às 5 horas por um despertador, saltar da cama ,vestir-se, engolir qualquer coisa, cagar, mijar, escovar dentes e cabelos e lutar com o trânsito para chegar a um lugar onde a tarefa é essencialmente produzir dinheiro para outra pessoa e onde ainda lhe pedem que demonstre gratidão pela oportunidade?"




Maravilhoso é poder me deleitar nas palavras de quem não se adequa, não se ajusta e se nega terminantemente a aceitar essa sociedade decadente, doente e fadada ao fracasso.

É maravilhosa essa constatação de que mais alguém além de mim se sente mal no meio dessa podridão absurda, porque assim eu posso dar-me o direito de acordar com um terrível mau-humor por ter que me levantar às seis da manhã todos os dias, sem a menor vontade de falar, mesmo depois de já ter ido ao banheiro, depois de haver trocado de roupa, posto o maldito filtro solar na cara e tomado café sem vontade apenas para evitar ficar com fome no horário em que eu gostaria de tomar o meu café da manhã, mas não posso por estar trabalhando.

Posso dar-me o direito de acordar de fato apenas duas horas depois de me haver levantado da cama, pois neste ínterim minha mente está tentando se readaptar ao mundo absurdo no qual eu me encontro. Faço isso, sinto isso todos os dias e, pelo que noto, o farei e o sentirei até ir-me daqui.

O fato de algumas vezes me deparar com pessoas que se negam a ser apenas mais um nessa sociedade mesquinha e medíocre, onde a manutenção do luxo de algumas poucas dezenas de pessoas é mais importante que o bem-estar de milhões de outras, é um dos poucos acontecimentos que me mantém sã nesta dimensão que mais me incomoda do que me acolhe.

É preciso saber diferenciar loucura da impossibilidade de aceitação do absurdo e da inadaptação ao doentio.




Escrevo porque eu vivo.
Porque escrever é a minha vida.
Porque se eu não escrevo,
Eu morro.





4 comentários:

  1. http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=zshttp:/

    ResponderEliminar
  2. Desculpe, Porfirio. Não consegui ver. O vídeo não abriu. :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem de pedir desculpa Alexandra. O erro deve ter sido meu. Nesta área para mim é tudo "parece-me ser assim".
      Mas cá vai outra vez, porque vale a pena. O homem é sábio, e ainda por cima, tem vacas e ovelhas que nunca mais acaba, para comer, dar e vender.
      Mis saludos portugueses!

      http://www.youtube.com/watch?v=zsOGZKRVqHQ

      Eliminar
  3. Sim! Trata-se do presidente do Uruguai, o Sr. Mujica. :)
    Eu já havia visto o discurso. É excelente! Ele também é. Precisamos de políticos como ele. :)
    Obrigada por dividir comigo.
    Abraços. :)

    ResponderEliminar

Grata por registrar sua visita.