sábado, 1 de setembro de 2012

Catarse



Foto: Santiago Ordóñez Carpio



Quanto mais negamos um amor mais ele se faz presente em nossas vidas.

Seja nos objetos que vemos, nas músicas que ouvimos, nos amigos que fazemos, nas conversas que temos.   Ele se faz presente em cada passo que damos. Está na lua que surge linda acima de nossas cabeças. No maravilhoso dia que você vê quando acorda pela manhã. Nas estrelas que surgem conforme vai escurecendo o seu lado do planeta. Na flor que nasceu no jardim de sua casa. Está inclusive no fantástico bolo que você conseguiu fazer.

Quanto mais negamos um amor mais ele adentra o que somos.

O sentimos em cada movimento. É incrível, mas ele se põe até em nossa visão periférica e mesmo no olhar que lançamos sobre o infinito. Ele está ali ao seu lado quando você muda a posição durante o sono. Está junto no momento em que você relaxa o corpo depois de um dia cansativo. Está na sensação única de sentir o vento passar leve pelo seu corpo. Ou na água morna do chuveiro a deslizar pelas suas costas.

Quanto mais negamos um amor mais ele nos toma espaço.

Compõe o seu tato e todos os seus outros sentidos. Ele se instala no seu suor e em cada canto úmido de seu corpo. Se enfia entre você e o calor matinal de sua cama. Entre o vento frio e o arrepio em sua pele. É o ranger dos seus ossos quando você se põe louco a caminhar na tentativa de esvaziar-se da presença dele. Se coloca até na estupefação que temos ao nos depararmos com um sósia quando o tínhamos como único dono daquelas características físicas no mundo.

Quanto mais negamos um amor mais deixamos de ser nós para ser ele, o amor.

Ao abrir os olhos pela manhã ele continua em sua mente, da mesma forma que estava quando você adormeceu. Cada poro de seu corpo o tem. Todo passo que você dá é em sua direção. O desejo que você tem de ser a razão da felicidade dele é maior que a fome que você sente. E tudo ao seu entorno o exala, o expele, o reflete, o atira em sua cara.

Como quem se encontra à beira de um abismo, você nota que a sua vida toda é ele...

E então você descobre que a única saída é fazer com que a vida dele seja toda você.



(by Alessandra Garuzzi)


Sem comentários:

Enviar um comentário

Grata por registrar sua visita.