domingo, 5 de maio de 2013

Panem et Circenses





A maior fonte de sustento
De qualquer sistema político
Está em uma população
Completamente imune
Aos poderes da Semiótica.


A velha (antiquíssima) politica panem et circenses (política do pão e do circo) está mais atual do que muitos podem imaginar. Nos hodiernos tempos pode ser chamada de "política do futebol e da cerveja". Até o tal Município Verde já aderiu a ela - aliás, já aderiu desde o ano passado, como mais um aliado para garantir a vitalidade da "administração fraternal" - a que, curiosamente, passa de amigo para amigo - que já dura mais de 16 anos, pasmem. E assim, olha que orgulho (é ironia, claro), Paragominas já tem seu próprio time, para a felicidade geral de sua população.


Isso me lembra Julio Anguita, quando em um de seus discursos criticou duramente os governantes por, em benefício próprio, fazerem questão de sedar e aniquilar o pensamento crítico de um povo, incentivando-o a resignar-se, a ser frívolo. Quando ele criticou os governantes por fazerem questão de usar a política de compra e venda de votos, a não se importarem com o que quer o povo, pois o povo quer é o que o Governo decide. Se eles querem futebol (e o povo é induzido a querer), então tomem mais futebol.

A Educação está um caos, assim como caótica está também a Saúde, o trânsito, a política carcerária. O preço dos alimentos tem subido de forma exorbitante, mas o povo segue dando boa vida a seus algozes.  Afinal de contas está tudo bem, porque já existe até uma facilidade maior para comprar carros (e há até quem cole neles o adesivo dizendo que foi deus quem deu, ainda que tenha que seguir pagando as altíssimas prestações). O transporte público é uma desgraça, mas quem se importa? E a presidenta já disse que, se nós continuamos bonzinhos, ela talvez até baixe o preço da energia elétrica. Olha só que boazinha que ela é!

E assim não falta quem se aproveite da imunidade desse povo à Semiótica (afinal, quem sabe o que é Semiótica, não é mesmo?) para fazê-lo de marionete. Para convencê-lo a acreditar que ser feliz é encher a cara de cerveja enquanto vibra pela vitória de seu time. Não falta quem queira fazer a massa se sentir forte, vingada, realizada através da vitória de seu time. Não falta quem, lucrando muito, queira dar a esse povo não só um time de futebol, mas uma copa do mundo, ou a chance de perder tempo criticando um pastorzinho-deputadozinho de merda a gritar na mídia o seu ódio por homossexuais (que novidade há nisso?), uma maioridade penal reduzida para, enfim, colocar todos esses "pivetes insuportáveis" na cadeia para que ninguém mais seja assaltado por eles nos desejados e idolatrados estádios de futebol.

Enquanto isso, lida-se com mais de mil vidas por dia nas escolas em situação precária. Enquanto isso, as escolas são responsáveis pelo futuro de uma nação. Mas o investimento maior é em estádios, presídios, segurança (que segurança??????????????), armas. Porque se "esses desgraçados desses alunos" não derem em nada (e esse discurso é de professor!!), vamos construir mais presídios e colocá-los todos lá dentro. Eduquem as crianças e não precisaremos punir os homens, alguém disse um dia em algum lugar. Mas, com tanto futebol na TV, quem é que vai parar para prestar atenção a essa frase dita por uma criatura com um discurso piegas e sonhador? Para qual time ele torce mesmo?

Alienemos o povo, porque para políticos e banqueiros o lucro é para agora. Pouco importa o futuro, pouco importam as consequências de nossos miseráveis atos. É necessário ser rico e poderoso agora. Não importa que o planeta não suporte a ganância doentia de uma minoria e, por causa disso, muito provavelmente poderá sucumbir. É preciso gerar dinheiro agora. E as alienações populares são excelentes para esse fim. Coloquemos o povo para trabalhar exorbitantemente todos os dias, com meios de transporte precários, alimentação péssima, poucas horas de sono, pouco convívio familiar e com a noção de que entretenimento é extravasar suas frustrações no sexo fácil, no futebol e na cerveja. Assim ele não tem tempo para pensar.


Aos que já despertaram, por favor, se levantem e andem. E tentem despertar outros. Não se resignem. Porque a rebeldia deve surgir daqueles que comem e vivem bem todos os dias. Porque o resto, infelizmente, só está tentando sobreviver. Não os culpem por isso.


"Se podes olhar, vê.
Se podes ver, repara." (José Saramago)




Sem comentários:

Enviar um comentário

Grata por registrar sua visita.