terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Manifesto pelo amor sem medidas




Abaixo a mesquinharia no ato de amar!



Eu cansei...

Cansei do mendigar, da coisa pouca, da eterna dosagem mínima.

Cansei do olhar de lado da usura de quem não come e só vigia o bolo.

Cansei do amor dosado, pingado, economizado para quando houver certeza.
Cansei da tabela de medida, da balança na minha cara cada vez que eu chegava com fome!

Cansei do inútil listar dos meus desejos, da recessão que não me deixava saciar nem as fantasias mais básicas.

Cansei da mesquinharia de palavras doces, do regrar de afeto, temeroso de que o estoque dele chegasse ao fim.

Cansei do entregar-se em migalhas, movido à pena do auto-desgaste.

Cansei do afago acanhado, do manifestar avarento de amor, do doar-se mesquinho.

Cansei do carinho mixo cheirando a carta de cumprimento pra garantir a fidelidade do consumidor.

Eu cansei!

Cansei de receber tudo na marra, panfletando direitos no balcão de reclamações.

Mandei pro inferno a cestinha básica!

Porque o que eu quero é saliva abundante e os mais caros beijos!

Mandei ao diabo a contenção de sentimentos!

Porque eu só quero o amor mais farto, sem nenhum risco de uma reduzida no estoque.

Não me apareça com esse orgulho inflacionado!

Porque eu não aguento oferta de selinhos quando o mínimo que eu aceito é beijo grego.

Eu cansei...

Descobri que eu não sei lidar com escassez de sentimentos nem com pouca entrega de alma.

Ou é tudo ou nada.

Eu que não vou ficar 'contagoteando' felicidade.


Medir amor não é pra mim.






Sem comentários:

Enviar um comentário

Grata por registrar sua visita.