quarta-feira, 22 de abril de 2015

Reparando os protestos políticos no Brasil em 2015...





Aquilo que tem a segregação em sua origem jamais trabalhará pelo coletivo.

Ideias baseadas em separação e no ressaltar das diferenças jamais visarão o bem comum.

É sempre bom lembrar que ao optar por A, automaticamente eu excluo B, C, D e todas as outras letras do alfabeto, e ignoro o facto de que cada uma tem sua insubstituível importância.

terça-feira, 21 de abril de 2015

O Humanismo em Carl Rogers







"Foi ouvindo pessoas que aprendi tudo o que sei sobre pessoas, sobre a personalidade, sobre as relações interpessoais. Ouvir verdadeiramente alguém resulta numa outra satisfação especial. É como ouvir a música das estrelas, pois por trás da mensagem imediata de uma pessoa, qualquer que seja esta pessoa, há o universal".¹




Uma teoria é uma tentativa humana de sistematizar uma área de conhecimento, uma maneira particular de ver as coisas, de resolver problemas. A teoria é um conjunto cientificamente aceitável de princípios que explicam um fenômeno.

A Premissa maior da teoria de Rogers é a afetividade, para ele a interação entre professor/aluno é condição para que a aprendizagem se realize. No entanto, ele não desenvolveu nenhum método pedagógico específico de ensino, cabendo ao professor adequar os métodos que ele mais se identifique à abordagem rogeriana.



"Sinto-me mais feliz simplesmente por ser eu mesmo e deixar os outros serem eles mesmos". ¹

domingo, 19 de abril de 2015

Da 7ª Arte - O Sorriso de Monalisa





Com o título inspirado em uma das obras de Leonardo Da Vinci, o filme trata de uma professora de História da Arte, Katherine Watson (Julia Roberts) que, com métodos pouco convencionais, lecionará em uma escola extremamente tradicional só para moças. No entanto, apesar de poder ser visto como mais um filme cuja temática envolve professor e alunos, "O Sorriso de Monalisa" pode ser muito útil se quisermos mostrar o valor da mudança em alguns momentos de nossas vidas. E, como bem podemos imaginar, se já não o sabemos, mudar o curso de coisas já estabelecidas quase sempre é algo bem difícil de ser feito.


quinta-feira, 2 de abril de 2015

O que estamos refletindo?


Fotógrafo: Osman Sağırlı




A guerra é um crime hediondo...


É um atentado não só às gerações do presente, mas, pelo tempo enorme para recuperar-se das consequências, é também um atentado contra várias futuras gerações.

domingo, 22 de março de 2015

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Se tudo que você consegue ser é o que você tem, e se tudo que você tem pode se perder, o que você é então?






Observando a cega e desenfreada prática do consumismo, a valorização absurda do status, a tão crescente sociedade do espetáculo e baseada em algumas experiências pessoais, noto que não é mais o que devemos vestir o que agora nos preocupa quando vamos a uma festa. A preocupação agora é:

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Manifesto pelo amor sem medidas




Abaixo a mesquinharia no ato de amar!



Eu cansei...

Cansei do mendigar, da coisa pouca, da eterna dosagem mínima.

Cansei do olhar de lado da usura de quem não come e só vigia o bolo.

Cansei do amor dosado, pingado, economizado para quando houver certeza.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Da insensatez dos ignorantes




Resposta de um nordestino contra o preconceito viraliza na internet



“É muito fácil julgar o voto de um povo pobre dirigindo uma Hilux até o escritório de sua empresa”. Resposta de cearense contra as manifestações de ódio e intolerância aos nordestinos se torna viral na internet.

(matéria e vídeo no link abaixo)



E eis que diante de nossa ignorância não nos damos conta da importância e dependência que temos do outro até mesmo para nos autoafirmar, seja lá com o que for.



Eu nunca tinha visto um período eleitoral tão violento, tão agressivo, tão separatista, tão elitista...

sábado, 15 de novembro de 2014

Desiludir para libertar




A desilusão como caminho: você quer saber a verdade ou prefere permanecer iludido?   




E o texto acima me chegou numa época e foi lido por mim em outra, porque tudo tem o seu tempo. E o meu tempo de lê-lo foi agora. E o texto tem a ver com tantas (muitas) coisas. Acerca delas eu já havia lido e pensado de modo separado (outros textos, outros autores, outras fontes) variadas vezes. Mas nunca é demais reler tais temas, repensá-los e, ainda que seja muito duro, às vezes dizê-los.


terça-feira, 8 de julho de 2014

Da nossa ditadora democracia



Sinopse:
A heroica história do General Aladeen (Sacha Baron Cohen), ditador de um país localizado no Oriente Médio, que colocou em risco a própria vida para que a democracia jamais chegasse ao local que governa. Ele e um pastor de cabras resolvem viajar aos Estados Unidos, onde cruzam o país para conhecê-lo melhor.























Em homenagem à ingenuidade de um povo (ou mais de um) que acredita piamente que vive uma democracia. 'Sabe nada, inocente...'



"Por que vocês são tão anti-ditadores?
Imaginem se a América (o Brasil, etc) fosse uma ditadura?